• CDO

Qual a indicação das próteses auditivas

Atualizado: 28 de jun.

A perda da capacidade auditiva pode afetar a qualidade de vida do paciente em diversos aspectos. Para minimizar os efeitos do problema, as próteses auditivas implantáveis constituem um método inovador na minimização da perda de capacidade auditiva para pacientes de todas as idades.


A utilização das próteses auditivas convencionais ainda é bastante comum, mas devido aos cuidados necessários ou incômodos causados pelo aparelho, muitos pacientes acabam não se adaptando a este modelo. Nestes casos, as próteses implantáveis surgem como uma alternativa eficiente para combater a perda auditiva. Continue a leitura e saiba mais sobre elas!

O que são próteses auditivas implantáveis?

As próteses implantáveis são aparelhos auditivos que, como o próprio nome sugere, são cirurgicamente implantadas no ouvido do paciente. Elas podem ser divididas em dois tipos:

Prótese auditiva de condução óssea

É o modelo mais tradicional e consiste na implantação de um pino de titânio, responsável por permitir a percepção do som diretamente no ouvido interno, por meio de vibração, através do osso do crânio. No caso de surdez unilateral, a condução óssea estimula o ouvido não operado, ou seja, a audição do paciente será beneficiada do lado oposto ao da cirurgia.

Prótese auditiva de orelha média

Este modelo atua promovendo a vibração mecânica da cadeia ossicular como forma de aumentar a capacidade auditiva. A prótese auditiva de orelha média é subdividida em dois tipos:

  • Prótese parcialmente implantável: estimula diretamente os pequenos ossos do ouvido médio ou diretamente o ouvido interno. É composta por uma parte interna – e uma parte externa, composta por microfone, programador e bateria, que pode ser retirada.

  • Prótese totalmente implantável: conhecida como “prótese invisível”, não possui nenhum componente externo, sendo implantada na parte interna do ouvido.

Quais as indicações?


Basicamente, as próteses auditivas implantáveis são indicadas para pacientes que não conseguem se adaptar ao uso de próteses auditivas convencionais ou que não tiveram sucesso com tratamentos, cirurgias e outros dispositivos, sendo recomendadas para corrigir deficiência auditiva condutiva, mista e sensorioneural.

É fundamental realizar uma avaliação médica para determinar o tipo de solução mais adequado para cada caso.


Como é feita a cirurgia?


Antes do procedimento cirúrgico, o paciente deve realizar exames pré-operatórios, como a audiometria e tomografia computadorizada, além de passar por testes com prótese vibratória para que se tenha uma previsão do resultado.

Para a implantação da prótese, é feito uma pequena incisão atrás do ouvido para realizar a abertura do osso do ouvido, permitindo o acesso à orelha média para colocação da prótese. A cirurgia é realizada com anestesia geral e possui duração aproximada de 30 minutos a duas horas.

Cuidados pós-operatórios

O pós-operatório é considerado bastante simples e indolor. No mesmo dia o paciente recebe alta e pode retornar às suas atividades normalmente. Em torno de 30 dias após a operação, a prótese pode ser ativada por um fonoaudiólogo, que deverá realizar os ajustes necessários para que o paciente obtenha o máximo de aproveitamento com a prótese.

Se ficou com alguma dúvida, não hesite em entrar em contato e enviar sua pergunta. Será um prazer lhe ajudar!


Material escrito por: Dr. Guilherme Webster - Otorrinolaringologista - CRM 15905 / RQE 11880 Dr. Guilherme Webster é formado em Medicina pela UFSC e realizou a residência médica em otorrinolaringologia pelo Hospital do Servidor Municipal de São Paulo. Seus principais interesses são o tratamento clínico e cirúrgico em rinologia, otoneurologia, otoplastia, atendimento pediátrico e distúrbios de deglutição.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo