• CDO

Implante coclear: vantagens e desvantagens

Atualizado: 28 de jun.

O implante coclear é uma das técnicas mais modernas e inovadoras para o tratamento de pacientes que sofrem com um grau severo de surdez. Embora o método seja bastante seguro e altamente recomendado para muitos casos, é preciso avaliar a real necessidade de cada paciente e compreender as expectativas de cada indivíduo para analisar se você está disposto a realizar o procedimento.

Antes de tudo, você deve entender que nem sempre os aparelhos auditivos são suficientes para devolver uma audição de qualidade. Isso porque, em casos de surdez severa ou profunda, a atuação dos dispositivos não consegue garantir a amplificação do som necessária para que o paciente consiga ouvir com clareza e nitidez.

Neste artigo, reunimos algumas informações sobre o implante coclear para que você entenda quando é indicado e como o procedimento é realizado. Acompanhe!

O que é implante coclear?

Também conhecido como ouvido biônico, o implante coclear é um dispositivo eletrônico cirurgicamente implantável no ouvido do paciente. O aparelho tem a função de substituir as células ciliadas do ouvido interno, estimulando o nervo auditivo que, por sua vez, capta os sinais e os enviam até o cérebro para que possam ser interpretados como som.

Para que isso seja possível, o aparelho possui uma parte interna, composta de uma antena receptora e um feixe de eletrodos que é colocado dentro da cóclea, e uma parte externa – que fica aparente no ouvido atrás do ouvido – sendo composta por um microfone, uma antena transmissora e um processador de fala.

Qual a indicação do implante coclear?

O implante coclear é indicado para pacientes que sofrem surdez de grau severo a profundo e não obtiveram resultados satisfatórios com o uso dos aparelhos auditivos convencionais. A eficácia do método permite que ele seja realizado por crianças, adultos e idosos, que podem ser divididos em dois grupos:

  • Pacientes pré-linguais: são pacientes que apresentam surdez desde o nascimento. Nesses casos, a recomendação é que a cirurgia de implante coclear seja realizada entre 1 e 2 anos de idade para não prejudicar o correto desenvolvimento da criança.

  • Pacientes pós-linguais: são pacientes que apresentarem surdez após o desenvolvimento da fala.

Como o procedimento é realizado?

Para a realização do procedimento, o cirurgião faz uma pequena incisão atrás da orelha, abre o osso da mastóide (procedimento conhecido como mastoidectomia) para poder localizar a cóclea. Em seguida, a parte interna do dispositivo é colocada embaixo do couro cabeludo e o feixe de eletrodos e a área operada é fechada com pontos. Para finalizar, é colocado um curativo compressivo no local.

A operação cirúrgica é realizada sob anestesia geral e possui duração média de 2 horas, sendo considerada bastante segura.

Ficou com alguma dúvida sobre o implante coclear? Mande sua pergunta para nós através da página de contato. Será um prazer lhe ajudar!


Material escrito por: Dr. Guilherme Webster - Otorrinolaringologista - CRM 15905 / RQE 11880 Dr. Guilherme Webster é formado em Medicina pela UFSC e realizou a residência médica em otorrinolaringologia pelo Hospital do Servidor Municipal de São Paulo. Seus principais interesses são o tratamento clínico e cirúrgico em rinologia, otoneurologia, otoplastia, atendimento pediátrico e distúrbios de deglutição.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo