• CDO

6 coisas que você precisa saber sobre orelhas de abano

Atualizado: 13 de jun.

Ter orelhas de abano costuma ser um trauma na vida de uma criança, principalmente na idade em que elas começam a reparar umas nas outras. Elas se caracterizam por uma malformação das orelhas e surgem devido à rotação anterior do pavilhão auricular. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), este problema atinge cerca de 5% dos brasileiros, sendo a hereditariedade a causa mais comum. Para ampliar o seu conhecimento acerca das orelhas de abano, destacamos algumas curiosidades, incluindo a forma de tratamento e a partir de que idade elas passam a se tornar mais visíveis. Confira!

Seis curiosidades sobre orelhas de abano

1) Trata-se de um problema somente estético Por se tratar de um problema localizado na cartilagem, as orelhas de abano prejudicam somente no âmbito da estética. Ou seja, não geram distúrbios no ouvido e, consequentemente, não há riscos de afetar a audição com o tempo.

2) É possível saber que a criança terá orelhas de abano desde cedo Em média, quando a criança completa três anos, já é possível saber que ela apresentar essa condição. Isso porque, nessa idade, é comum já estar com 90% do tamanho da orelha formado, permitindo prever o formato que ela terá na fase adulta.

3) O tratamento para orelhas de abano é cirúrgico A solução para redefinir o formato das orelhas é realizar uma cirurgia plástica conhecida como otoplastia. O procedimento, que é considerado simples, consiste em esculpir a cartilagem do local, a fim de deixá-la mais próxima à cabeça e, ainda, resgatar suas ondulações naturais. De forma geral a recuperação é rápida, tanto que, cerca de uma semana após o procedimento, já é possível retornar às atividades normais.

4) A partir dos seis anos, já é possível realizar a otoplastia Geralmente, a partir dos seis anos de idade, já é possível realizar a cirurgia plástica para contornar as orelhas de abano. Nessa idade, não há mais perigo de afetar o seu centro de crescimento e os riscos de o problema voltar, posteriormente, são bem menores. Como cada caso tem as suas particularidades, o momento ideal deve ser informado pelo otorrinolaringologista.

5) As orelhas de abano são um dos principais alvos de bullying Se antes as pessoas buscavam realizar a otoplastia por uma questão de vaidade, atualmente, o motivo principal é o bullying. Muitas crianças desenvolvem problemas psicológicos e/ou sociais devido às “brincadeiras” relacionadas às suas orelhas de abano. Inclusive, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, existem estudos que demonstram que o bullying pode, ainda, levar a um déficit de desempenho escolar.

6) É fundamental utilizar a faixa, após a cirurgia O uso da faixa elástica é parte fundamental para a plena recuperação da otoplastia. Além de favorecer a cicatrização, ajuda a manter a orelha na posição correta e a reduzir os edemas. Normalmente, é recomendado o seu uso em tempo integral durante 10 dias e, no decorrer dos próximos dois meses, pode ser utilizada apenas na hora de dormir. Esse artigo foi útil para você? Continue navegando pelo blog do CDO e esteja sempre informado sobre a sua saúde otorrinolaringológica. Em caso de dúvida, entre em contato conosco.


Material escrito por: Dr. Guilherme Webster - Otorrinolaringologista - CRM 15905 / RQE 11880 Dr. Guilherme Webster é formado em Medicina pela UFSC e realizou a residência médica em otorrinolaringologia pelo Hospital do Servidor Municipal de São Paulo. Seus principais interesses são o tratamento clínico e cirúrgico em rinologia, otoneurologia, otoplastia, atendimento pediátrico e distúrbios de deglutição.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo