• CDO

Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência – P300

Para quê

A audição humana é um importante fator que colabora para desenvolver habilidades de atenção, memória e discriminação auditiva. O processamento das informações sonoras depende de todo o funcionamento do sistema auditivo desde sua porção periférica até a sua porção mais central. Para avaliar essa capacidade e identificar possíveis problemas, o Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência é de fundamental importância.

O que é Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência?

O Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência-P300 é considerado um potencial cognitivo, por refletir o uso funcional que o indivíduo faz do estímulo auditivo, sendo altamente dependente das habilidades cognitivas, dentre elas a atenção e a discriminação auditiva.

O exame auxilia na análise do Processamento Auditivo Central (PAC), por meio da observação de processos que ocorrem no córtex cerebral e estão relacionados com a cognição, memória e atenção auditivas. Estes processos são necessários ao processamento auditivo central. Em outras palavras, o procedimento permite avaliar a atividade cortical envolvida nas habilidades de discriminação, integração e atenção do cérebro.

A sua resposta envolve várias vias do cérebro, como as do tronco cerebral, córtex pré-frontal e temporo-parietal, tálamo, hipocampo e região límbica, relacionadas com a capacidade de aprendizagem, memorização e atenção.

Quem deve realizar o exame?

O P300 é capaz de identificar precocemente alterações nos componentes da audição humana. Também previne alterações no aprendizado, fala e desenvolvimento do indivíduo. Dessa maneira, o exame é indicado, sobretudo, para crianças em idade escolar que apresentam dificuldade de aprendizado por conta de desatenção, falta de concentração, incapacidade de entender o que foi falado e problemas similares.

Como é feito o exame?

Para a realização do Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência, o paciente é exposto a estímulos sonoros raros e frequentes. O aparelho utilizado registra a onda elétrica gerada e o médico irá interpretar os parâmetros de latência e amplitude. O atraso na latência da onda do P300 ou a ausência desta, pode indicar algum distúrbio do Processamento Auditivo Central, sendo os mais comuns:

  • distúrbios da cognição, relacionados à patologias neurológicas;

  • distúrbios do PAC em crianças com dificuldades de aprendizagem;

  • distúrbio do PAC em idosos com dificuldade de compreensão da fala em ambientes ruidosos;

  • detecção de simuladores de perdas auditivas.

O procedimento é simples, rápido e indolor. Recomenda-se que o paciente esteja bem descansado para realizar o exame.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco. Aproveite, também, para ler este artigo: “Perda de audição prejudica a qualidade de vida se não for tratada”.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Para quê Pesquisa dos limiares auditivos (capacidade auditiva) em ambas as orelhas, o que permite detectar as perdas auditivas, e suas características (tipo, gravidade, se acomete uma ou as duas orelh

Avaliação das doenças do labirinto (pesquisa do nistagmo posicional, vectoeletronistagmografia, vídeo head impulse test) Para quê Avaliação diagnóstica das estruturas envolvidas no equilíbrio e suas p